sexta-feira, março 18, 2011

AUGUSTA SCHIMIDT " Tsunami"


Tsunami
Augusta Schimidt


O mar enfureceu

A natureza chorou

Ondas gigantescas

Saíram das profundezas

Formando turbilhões

Afogando ilusões.


Sem piedade

A tudo invade

Causando o caos e a desolação.

Talvez seja esta a maneira

De mostrar reprovação.



A natureza ferida,

Desiludida,

Cansada,

Implacável mostra ao mundo

O que o homem vem fazendo


A natureza está sofrendo...

De repente, tudo mudou

Do lindo cenário,

Nada quase restou.


A natureza pede respeito,

Que os corações hoje em pedaços

Se solidarizem,

Apertem os laços

E unidos num só pensamento de amor

Cantem a paz, solidariedade...

E juntos façam a mesma oração...


Terra nossa que está no céu
Santificada sejas tu, mãe realeza
Esplendorosa seja tua beleza
Salve Terra cheia de graça!

O chão nosso de cada dia
Nos dai hoje e sempre
Tua riqueza e tua beleza
Teus frutos e tuas flores.

Perdoa teus filhos
Que dizimam tuas matas
Abençoa o povo que te ama
Que te zela e te protege
Agora e sempre
Assim seja

2 comentários:

Dalva Saudo, administradora do blog do CPAC disse...

Parabéns pela sensibilidade Poeta!
Você retrata em seus versos... prece...o acontecimento que abalou o mundo! Que nos deixou a todos perplexos.
Fiquei comovida com sua poesia!

Rosana Montero Cappi disse...

Cara Augusta

Parabéns pela oração em forma de poema.
Que o homem transforme o coração,se curve perante o criador, admita seus erros e peça misericórdia para que a natureza não se rebele tanto e diminua as calamidades.
Tudo está nas mãos dos homens. Sem Deus não há salvação.
Beijos
Rosana