quarta-feira, março 09, 2011

POEMA DA MANHÃ


Abro a janela,como se fosse a do coração,
Olho para o alto e na mente vem uma canção.
Ao ver o lindo céu azul, sem nuvens,
Meu peito se enche de emoção.
Como sentir tristeza diante dessa imensidão!
Ao sair de casa, o brilho da luz solar
Acompanha meu caminhar,
E suas inúmeras formas, passa a demonstrar.
Chegando no bosque,um sabiá está a me esperar.
Ouço seu trinar, vindo de uma árvore tão alta
Que meus olhos nem conseguem alcançar.
Tento a ave vislumbrar,
E me deparo com o imenso bambuzal
Que outro espetáculo quer me apresentar.
Por entre seus grossos e enormes galhos,
Os raios do sol insistem em passar,
fazendo a bruma da manhã aos feixes de luz se misturar.
Paro sob esse holofote colossal,
a me iluminar no palco desse show natural.
Que privilégio ser eu, o foco desta encenação!
Então, com humildade,
Imito o bambu que me ensinou virtuosa lição,
Com extrema generosidade.
Diante à gratuita demonstração,
eu me curvo, com cerimônia e gratidão!

Rosana Montero Cappi
Escritora campineira, autora dos romances " Estão Voltando as Flores, publicado em 2010 e "Ema" em 2007; diretora da Casa do Poeta de Campinas.

Um comentário:

Dalva Saudo, administradora do blog do CPAC disse...

Rosana:

Acesso o blog com a janela dos meus olhos e ao ler...vem à minha mente essa sua canção em forma de poesia!
Obrigada! Esse blog pertence à todos nós! Cada poeta ou artista que aceita o convite, grava no meu coração um eterno agradecer.